Domine o conceito de medicina 4.0 e entenda seus impactos

  • Home
  • Blog
  • Saúde
  • Domine o conceito de medicina 4.0 e entenda seus impactos
Publicada 13/03/2020

Os avanços da ciência e tecnologia trazem novas perspectivas para o setor da saúde. A Medicina 4.0 está às nossas portas e cabe aos médicos e demais profissionais da saúde acompanhar o progresso que desponta nitidamente em outras áreas do conhecimento.

Pare e pense: você substituiu o pager pelo telefone celular e, hoje, anda por aí com um smartphone capaz de realizar inúmeras funções. Se você já incorporou — e continua incorporando — novas ferramentas tecnológicas em sua vida pessoal, por que não trazer a modernidade também para dentro do seu ambiente de trabalho?

Aceitar o futuro significa mais abrangência nos cuidados com os pacientes, contribuindo para a qualidade de vida e o bem-estar de todos. A revolução tecnológica é evidente nos processos de diagnóstico e tratamento, mas também pode ser usada para descomplicar tarefas burocráticas e melhorar a gestão.

E você? Já aplica os conceitos da Medicina 4.0 em seu cotidiano? Continue conosco para saber mais sobre essa nova forma de abordar os cuidados em saúde e descubra por que você não pode ficar por fora dessa transformação!

 

Indústria 4.0: qual é a sua relação com esse novo formato da Medicina?

A primeira revolução industrial foi marcada pela mecanização da produção graças ao uso da energia a vapor. De lá para cá, passamos por outras duas “revoluções” impulsionadas pela introdução da energia elétrica e pela disseminação do uso dos dispositivos eletrônicos.

Atualmente, nós vivemos a quarta revolução industrial, chamada de Indústria 4.0. Nesse caso, o processo é marcado pela integração entre as tecnologias físicas e digitais, com a incorporação de novas ferramentas para automação e troca de dados. Essa nova era da manufatura é baseada em alguns pilares:

  • análise e gestão de grandes volumes de dados (big data);
  • desenvolvimento de robôs cada vez menos dependentes da supervisão humana;
  • uso de simulação computacional;
  • gestão integrada por sistemas;
  • internet das coisas (conexão entre objetos, ambientes e máquinas por meio de dispositivos eletrônicos que coletam e trocam informações);
  • computação em nuvem;
  • impressão em 3D;
  • realidade aumentada.

Os avanços no conhecimento e as inovações tecnológicas estão moldando também uma nova fase da Medicina. O modelo que surge caminha para melhorar a vida dos médicos e pacientes por meio de alternativas cada vez mais automatizadas e personalizadas.

Um exemplo dessa integração entre o desenvolvimento tecnológico e a Medicina são as cirurgias robóticas. O uso de robôs simplifica procedimentos, que podem ser realizados por meio de incisões menores, em menos tempo e com maior precisão. Com isso, o período de internação é reduzido, assim como as chances de surgirem complicações.

O custo para implementar esse tipo de tecnologia é alto, mas o retorno compensa, uma vez que os pacientes se recuperam mais rapidamente, diminuindo a ocupação de leitos e a necessidade de tratamentos complementares. Quem vai negar uma solução para tornar o trabalho mais eficiente e, no final das contas, mais barato?

 

O que é Medicina 4.0?

Atualmente, o atendimento médico tem mais foco na cura do que na prevenção de doenças. A incorporação dos conceitos trazidos pela Indústria 4.0 na Medicina é a responsável por inaugurar uma nova era de cuidados médicos, em que tanto os profissionais da saúde quanto os pacientes sairão beneficiados.

Esse novo modelo, em que os sistemas inteligentes e a personalização vêm criando oportunidades inéditas de tratamento e prevenção, já foi iniciado. Completamente dependente da tecnologia, a Medicina 4.0 nada mais é do que a incorporação do progresso e da inovação na área médica.

 

Qual é o envolvimento da área da saúde nos processos tecnológicos?

O futuro da Medicina será moldado por 3 tendências:

  • maior preocupação com a prevenção e a manutenção da saúde;
  • uso da tecnologia para melhorar a experiência dos pacientes, com resultados mais confiáveis e custos menores;
  • desenvolvimento de novas tecnologias para promover a qualidade de vida e aumentar a longevidade.

Você já deve estar acostumado com pacientes que recorrem ao Google antes da consulta. Esse impacto da evolução tecnológica é apenas uma mostra de como as pessoas estão mais interessadas em entender o que está acontecendo com elas e o que os seus sintomas significam.

Os pacientes têm se mostrado cada vez mais preocupados com ser bem-estar e qualidade de vida. Adotar uma alimentação saudável, praticar exercícios e visitar o médico rotineiramente, mesmo quando não há sinais de doença, já faz parte da rotina de muita gente.

Percebendo isso, muitas empresas estão investindo na criação e aperfeiçoamento de dispositivos para que os pacientes acompanhem seus indicadores de saúde em tempo real. Esses gadgets (pulseiras, relógios e outros) estão à disposição no mercado.

Dessa forma, é impossível para um médico fechar os olhos para essa nova realidade. Mesmo quem prefere ter seu consultório “à moda antiga” precisará lidar com os pacientes de hoje em dia, que chegam cheios de respostas (nem sempre corretas) e buscam informações sobre como monitorar melhor a própria saúde.

Portanto, para se manter firme no mercado, o profissional deve estar sempre atualizado e preparado para passar por essa modificação tecnológica. Novos equipamentos e medicamentos estão sempre surgindo, as pesquisas apontam opções de tratamento até então desconhecidas, e os pacientes estão em constante evolução.

Acompanhar essas modificações faz parte da atualização do profissional, e pode ser feito de várias formas, incluindo:

  • leitura de periódicos científicos;
  • idas a congressos, workshops e eventos médicos;
  • acompanhamento dos lançamentos das empresas de equipamentos hospitalares e indústrias farmacêuticas;
  • realização de cursos de curta duração;
  • cursar uma nova especialização.

 

Afinal, qual é a importância da tecnologia na área da saúde?

A tecnologia não impacta somente o médico, mas todos os profissionais da área da saúde e também os pacientes. Veja alguns aspectos que estão sendo aprimorados graças aos avanços tecnológicos!

Eficácia em diagnósticos
As pequenas cidades do nosso país nem sempre contam com equipamentos para analisar casos mais complicados. Até pouco tempo, a solução era encaminhar os pacientes para as capitais para que tivessem acesso a ferramentas de diagnóstico.

A realidade hoje é outra. É possível enviar imagens e documentos, permitindo a troca de informações e a discussão do caso em tempo real. Isso representa agilidade no diagnóstico e menos gastos de tempo e recursos financeiros com o deslocamento do paciente.

Agilidade no resultado de exames
Nos laboratórios de análises clínicas, muitos processos já são realizados de maneira automática. Isso garante resultados mais precisos e em menor tempo, além de reduzir os riscos de contaminação tanto para os profissionais quanto para as amostras. Em alguns anos, é possível que tenhamos exames de sangue feitos inteiramente por robôs, desde a punção venosa até as análises bioquímicas.

Para os exames de imagem, os equipamentos e as ferramentas de tratamento de imagens atuais já permitem diagnósticos mais precoces e precisos. O desafio da tecnologia no momento é tornar a análise dos resultados cada vez mais objetiva.

Em qualquer tipo de exame, um ponto que não pode ser deixado de lado é a conectividade com os equipamentos. Isso permite avaliar os dados assim que eles são obtidos, acelerando o diagnóstico e reduzindo o tempo necessário para a implementação do tratamento definitivo. Trata-se, portanto, de um benefício para médicos e pacientes.

Prevenção de doenças
Assim como observamos em tantas outras áreas, tecnologia e medicina preventiva também andam lado a lado. Um exemplo são as ferramentas de diagnósticos portáteis, em que incluímos os wearables (tecnologias “vestíveis”) e smartphones.

Já é possível encontrar pulseiras, anéis, capacetes e outros itens que atuam como verdadeiros ajudantes dos médicos, realizando tarefas como:

  • captação dos batimentos cardíacos;
  • controle da diabetes;
  • cálculo de distâncias percorridas e calorias gastas;
  • monitoramento da qualidade do sono.

Nos smartphones, os pacientes têm a seu alcance diversos aplicativos que auxiliam na avaliação e manutenção da saúde, tais como calendários menstruais e alertas para o consumo de água ou medicamentos. Cabe aos médicos orientar sobre o uso desses dispositivos e usar as informações apresentadas para estabelecer diagnósticos e oferecer as melhores opções de tratamento.

Personalização da Medicina
Cada paciente é único, não é mesmo? Então, por que apostar na mesma solução para todos os indivíduos que apresentam um conjunto de sintomas semelhante? Pensando nisso, cada vez mais pesquisadores e médicos estão apostando em abordagens individualizadas que permitem uma Medicina de precisão.

A Medicina personalizada é impulsionada principalmente pelos avanços na genética. O sequenciamento de genomas e o entendimento do que as informações ali contidas representam permitem identificar pontos fortes e fracos da fisiologia de cada um, o que pode ser usado, por exemplo, para a elaboração de planos alimentares individualizados ou para determinar quais medicamentos são mais eficientes para cada ocasião

No tratamento do câncer, por sua vez, a análise de marcadores tumorais permite que a terapia seja dirigida de forma a atacar efetivamente o problema. Hoje, estamos caminhando para um futuro em que, com uma simples amostra de sangue, poderemos avaliar a presença de diversas dessas moléculas indicadoras para detectar tumores de forma precoce e potencializar as chances de cura.

Diante desse quadro, render-se à Medicina 4.0 é uma necessidade. Afinal, com toda a tecnologia que ela agrega ao dia a dia do médico, os ganhos são enormes. Vamos conhecer alguns deles?!

 

Softwares médicos

Se você é o responsável por gerenciar uma clínica ou mesmo o seu próprio consultório, já deve ter percebido que entender a fundo o funcionamento do negócio e manter a organização não são tarefas fáceis. Pensando nisso, muitos programas vêm sendo desenvolvidos para melhorar a rotina de trabalho dos profissionais da saúde.

As opções vão desde agendas virtuais a softwares completos para gerenciamento de clínicas. Confira algumas vantagens de adotar esse tipo de tecnologia:

  • facilidade no agendamento de consultas, com envio de lembretes para os pacientes e redução no número de faltas;
  • gestão simplificada, com controle do fluxo de caixa, relatórios financeiros e cálculo de repasse;
  • prontuário eletrônico personalizado (dados pessoais, fotos, resultados de exames e outros arquivos) e de fácil acesso;
  • estatística dos pacientes;
  • possibilidade de integração entre as agendas pessoais e do consultório;
  • acesso remoto aos dados, ou seja, poder checar a agenda ou o prontuário do paciente de onde estiver.

A segurança em manter as informações com esse tipo de tecnologia é outro ponto que merece destaque. O Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamenta que a segurança dos softwares médicos deve ser a mesma daquela utilizada pelos bancos na internet.

Além disso, o backup dos dados é obrigatório. Por meio dessas medidas, tanto a privacidade quanto a segurança estão garantidas. Tudo isso com menos uso de papel e menor demanda por espaço de armazenamento.

 

Aplicativos para médicos

Além dos softwares polivalentes, existem ainda aplicativos para médicos com funções bem específicas, como consultar o CID de uma doença ou buscar quais medicamentos genéricos são aprovados pela Anvisa.

O mais conhecido deles é o Medscape, um superguia com todas as doenças conhecidas, incluindo suas formas de diagnóstico e tratamento. O aplicativo é reconhecido pelo FDA (Food and Drugs Administration), o que reforça a sua credibilidade.

Mas as opções não param por aí. Com uma busca na loja de aplicativos do seu smartphone, você será capaz de encontrar ferramentas para:

  • verificar o passo a passo de uma cirurgia;
  • calcular déficit hídrico, manejo de infusão e outras taxas relevantes;
  • acompanhar os melhores conteúdos da sua área de atuação;
  • trocar informações com outros médicos sobre casos clínicos.

Além disso, há muitos aplicativos que não são desenvolvidos especificamente para médicos, mas que auxiliam bastante o dia a dia desses profissionais. É o caso de agendas, blocos de anotações e programas desenvolvidos para controle financeiro.


Realidade virtual

Não podemos falar em Medicina 4.0 sem incluir a realidade virtual. A tecnologia que promete revolucionar a indústria dos games também vai impactar a área médica, sobretudo o treinamento de novos profissionais e o tratamento de casos que envolvem distúrbios psiquiátricos, cirurgias ou reabilitação.

Um exemplo prático é o uso da realidade virtual para o tratamento de fobias. Com o acompanhamento do médico, o paciente pode experimentar um novo mundo digitalizado em que fica “cara a cara” com o seu medo, de forma a desenvolver estratégias para enfrentá-lo.

 

Inteligência Artificial

Se você usa o assistente de voz do seu smartphone ou as rotas de trânsito oferecidas por aplicativos, já está familiarizado com a Inteligência Artificial no seu dia a dia. No entanto, talvez ainda não tenha percebido como essa tecnologia é empregada na Medicina e quais são os seus potenciais.

A aplicação mais difundida da Inteligência Artificial na área médica é o armazenamento de dados na nuvem, com a integração em diferentes máquinas. Mas esse não é o único exemplo. Podemos considerar ainda o treinamento de máquinas para que reconheçam lesões características do câncer de pele e o sequenciamento de genes, com interpretação das informações ali presentes.

 

Por que vale a pena trabalhar com inovação na área da saúde?

A tecnologia na Medicina vai muito além de dispositivos eletrônicos e aplicativos desenvolvidos para facilitar o cotidiano. Como vimos, a automação de procedimentos, a agilidade nos diagnósticos e a personalização dos tratamentos vêm impactando o bem-estar dos pacientes.

Como se isso não fosse suficiente, aceitar o que a Medicina 4.0 tem a oferecer ainda beneficia os profissionais da saúde, que passam a contar com novas ferramentas para desempenhar suas atividades de maneira cada vez mais eficiente. No entanto, é preciso estar preparado para criar fluxos de pensamento e de atuação voltados para a área da inovação.

No Brasil, as ações de promoção e prevenção em saúde nunca estiveram tão em alta. Os médicos que quiserem se destacar deverão apostar em novos modelos e soluções de gerenciamento, com foco na qualidade assistencial e na excelência de seus processos.

Para isso, há diversos cursos de gestão capazes de preparar os médicos para acompanhar as mudanças advindas dos avanços da tecnologia.

Um exemplo é o MBA em Gestão Inovadora em Serviços de Saúde. Com objetivo de capacitar lideranças para o mercado de trabalho, o curso estimula os profissionais a agirem de forma inovadora frente aos desafios, promovendo resultados mais seguros e compatíveis com futuro.

E você? Está preparado para a Medicina 4.0? Leia, estude, pesquise e absorva todo o conteúdo que puder sobre esse novo modelo que já começou a despontar, mas que ainda tem muito potencial de desenvolvimento. Seus pacientes agradecem!

Agora que você entendeu mais sobre tecnologia e Medicina 4.0, aproveite para compartilhar essas informações valiosas com seus colegas de trabalho por meio das redes sociais!


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

31/08/2020

O que faz um auditor de saúde?

LER POST
16/07/2020

RNs 452, 443 e 440: saiba como se preparar para o processo de acreditação de operadoras de saúde

LER POST
24/06/2020

A importância ética de se ter transparência na saúde

LER POST