O que é ESG e qual a sua importância para as empresas?

Publicada 21/01/2022

Atualizado em 29/09/2022

 

A preocupação com o meio ambiente, questões sociais e ética corporativa está se tornando um ponto cada vez mais importante para o sucesso de empresas de todos os ramos. Isto pode ser percebido com a crescente valorização das políticas de ESG, que são, inclusive, uma das principais tendências de mercado para 2022.

Apesar disso, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que significa esta sigla e como aplicá-lo na prática. Neste post iremos abordar a definição de ESG, por que ela tem ganhado destaque, motivos para implantá-la em sua empresa e exemplos de ações que podem ser aplicadas para alavancar o impacto ambiental, social e de governança de uma empresa.

 

O que é ESG?

ESG é uma sigla em inglês para as palavras environmental, social and governance, que podem ser traduzidas como “ambiental, social e governança”.

Esta sigla é usada para descrever as ações de uma companhia para reduzir seu impacto ambiental, colaborar para a melhoria dos índices sociais e a adoção de práticas de gestão sustentáveis. Ela também é utilizada para se referir a investimentos que, além de considerar índices financeiros, avaliam questões de sustentabilidade.

Entenda melhor o significado de cada letra que compõe a sigla ESG:

 

  • Environmental (ambiental): refere-se a práticas voltadas para a preservação do meio ambiente e mitigação dos efeitos da mudança climática. Envolve poluição do ar e da água, emissão de carbono, desmatamento, reciclagem, produção de lixo e demais medidas que afetem a natureza.
  • Social: trata-se do papel da empresa na sociedade. Inclui o impacto na comunidade em seu entorno, políticas de diversidade e inclusão entre seus colaboradores, a proteção aos dados de clientes e outros.
  • Governance (governança):  está relacionada a gestão da empresa e sua conduta administrativa. Envolve temas como gestão democrática, transparência nas decisões e sustentabilidade financeira.

É interessante notar que estas proposições convergem princípios do cooperativismo, como destacou dr. Helton Freitas, Presidente da Fundação Unimed, da Seguros Unimed e diretor geral da Faculdade Unimed​, em artigo para o Correio Braziliense: “No cooperativismo, essas premissas [de ESG] já são bastante enraizadas e fazem parte do seu modelo societário, no qual o foco está no indivíduo e não no capital internalizado de cada associado na cooperativa. Ou seja, valoriza-se as pessoas e o trabalho. Já as práticas exploratórias ou predatórias não são estimuladas".

Isto reforça o papel de liderança que o cooperativismo deve exercer nos próximos anos ao trazer um modelo de negócios mais alinhado com as necessidades das pessoas e da natureza e preparado para lidar com os desafios que enfrentaremos no futuro.

 

Por que o ESG está sendo tão valorizado?

Em entrevista para o Estadão, Ricardo Zibas, sócio-diretor de consultoria em ESG da KPMG, explica que nos últimos anos cresceu a percepção de que empresas comprometidas com estes índices tendem a ter um melhor desempenho financeiro, atraindo ainda mais investimentos: “Os investidores perceberam que as empresas com boas práticas de ESG perderam menos durante a pandemia. Os investimentos ESG ainda são de nível, ou seja, ainda são minoria e, cada vez mais, os investidores querem ter ferramentas para mensurar o desempenho dos indicadores não financeiros, para sair da dimensão teórica para o lado pragmático da coisa”, aponta.

Pesquisas corroboram esta visão: de acordo com um estudo realizado pelo PRI, dentre os cerca de 2.000 estudos publicados a respeito do assunto desde 1970, 63% deles concluem que existe uma correlação positiva entre a adoção de critérios ESG e retorno.

 

ESG na prática

Adotar políticas de ESG exige ações práticas com um impacto mensurável. Abaixo, veja algumas ações que podem ser adotadas em cada uma das letras do ESG.

 

ESG Ambiental
  • Usar materiais reciclados no escritório e digitalizar o que for possível;

  • Priorizar o uso de energias limpas e renováveis, como a energia solar através da instalação de painéis solares;

  • Incentivar um uso consciente de materiais descartáveis, papéis e rascunhos entre os colaboradores, reduzindo a produção de lixo;

  • Fazer a destinação correta de resíduos e efluentes;

  • Apoiar a preservação de áreas verdes com ações como adoção de canteiros públicos ou apoio a ONGs ambientais.

 

ESG Social
  • Promover a diversidade em todos os níveis hierárquicos, criando vagas exclusivas para pessoas negras, LGBTs e mulheres;

  • Criar políticas que propiciem a conciliação entre carreira e maternidade, como oferecer auxílio-creche e home office;

  • Apoiar projetos sociais dentro da comunidade local;

  • Promover ou patrocinar eventos culturais e sociais;

  • Oferecer treinamentos para os colaboradores que tratem de temas como racismo, machismo e lgbtfobia.

 

ESG Governança
  • Adoção de um sistema de Compliance;

  • Criação de um conselho de administração independente diverso;

  • Contratar fornecedores e colaboradores terceirizados que também tenham bons índices de ESG;

  • Ter transparência, tornando públicas as principais informações.

 

Quer aprender mais sobre ESG?

A Faculdade Unimed lançou este ano a sua pós-graduação em ESG e Sustentabilidade. Totalmente a distância, o curso conta com um corpo docente especializado e diverso e aborda os temas de governança, mecanismos de transparência, prestação de contas, responsabilização, gestão de riscos, compliance, geração de valor, redução do impacto social, diversidade, inclusão, geração de emprego e renda, viabilidade e integridade.

Para saber mais informações, clique aqui




ÚLTIMOS POSTS

Há 5 dias

TEA: diagnóstico e principais desafios

LER POST
27/10/2022

Programa de compliance: 6 dicas para implantar em clínicas e consultórios

LER POST
16/09/2022

Afinal, o que é e como funciona a auditoria médica?

LER POST