Gestão de OPME: a importância do cuidado no processo de compra

  • Home
  • Blog
  • Gestão
  • Gestão de OPME: a importância do cuidado no processo de compra
Publicada 17/09/2019

gestão de OPME, sigla para Órteses, Próteses e Materiais Especiais, é um assunto bastante complicado para hospitais e sistemas de saúde. Isso porque esse tipo de insumo, utilizado em casos de alta complexidade, apresenta valores bastante elevados. Além disso, envolve dificuldades no processo de compra pela falta de padronização dos materiais e processos, e variação acentuada de preços.

Para lidar com a questão sem comprometer a sustentabilidade financeira da organização e para evitar ações judiciais, é necessário que as equipes administrativa e de saúde tenham um conhecimento atualizado das especificidades das OPMEs e trabalhem de forma integrada objetivando o melhor atendimento ao paciente.

Quer entender melhor sobre os cuidados de compra que envolvem esse processo e a necessidade de capacitação nessa área? Então acompanhe nosso post!
 

O que é a gestão de OPME?


gestão de OPME envolve toda a cadeia referente a esses materiais, desde a procura do fornecedor até a aplicação do insumo em uma cirurgia. Estamos falando de pesquisa de preço, negociação, compra, transporte, armazenamento e bom uso desses materiais. Assim, é um processo que engloba pessoal administrativo, da área da saúde, fornecedores, distribuidores, operadoras de planos de saúde, órgãos reguladores e o paciente.

Como os custos desses produtos impactam no orçamento da instituição de saúde, é importante que não haja erros nesse percurso. O objetivo é conseguir a melhor relação custo-benefício do material, evitar desperdícios e promover a segurança do paciente.

"Estamos caminhando para o cenário de padronização desses processos. Não tem um preço médio do produto nem protocolo específico, o que traz dificuldade no gerenciamento do material, porque induz ao conflito de interesse no setor. Logo, para atender essa necessidade, temos farmacêutico, enfermeiro e médico discutindo sobre construção de tabela e compatibilização de produto, por exemplo", destaca Juliana Feitosa Dibai, professora dos cursos de graduação e de curta duração em Auditoria e Atualização de Saúde da Faculdade Unimed.

Papel da auditoria 
auditoria tem um papel importante na gestão de OPME. "A área ajuda com ações de controle, mas estamos trabalhando para um crescimento da inteligência artificial na auditoria, em que as ações que tomamos manualmente serão sistematizadas. Teremos auditores com mais conhecimento técnico e científico para discutir protocolos, resultados adequados e indicações específicas", antecipa Juliana.

Atualmente, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) são os órgãos que ajudam no processo fiscalizatório e regulatório desses materiais. 

Quais mudanças estão ocorrendo nesse cenário?


A boa notícia é que o mercado está mudando. As instituições estão investindo no melhor entendimento do processo, na estruturação mais adequada da gestão de OPME e na qualificação de pessoal. "Percebemos uma mudança de mercado nos últimos 5 anos, que acredito estar muito relacionada ao crescimento da judicialização de saúde. Isso porque impacta negativamente as fontes pagadoras, levando a um cenário de descontrole financeiro, com gastos e ganhos abusivos. Acredito que o ponto mais importante é a capacitação profissional que ainda precisa ser aprimorada", comenta a professora da Faculdade Unimed.
 

Como a Faculdade Unimed pode ajudar na qualificação em gestão de OPME?


Para qualificar os profissionais que pretendem trabalhar nessa área, a Faculdade Unimed desenvolveu o curso de curta duração Atualização e Auditoria em OPME/DMI e Produtos de Saúde.

O curso apresenta todo o cenário do passado e presente, e discute estratégias futuras de sobrevivência nessa gestão. "Traz também o redesenho do modelo assistencial, a partir da criação de órgãos fiscalizadores, reguladores e o papel que esses órgãos têm hoje em todo o processo de negociação e até mesmo na dinâmica do setor. Esse é o ponto mais difícil e que as pessoas têm menos conhecimento", salienta Juliana.

Além disso, as aulas discutem protocolo, padronização, indicações específicas de material e as estratégias para se trabalhar com as instituições. "Foi um curso desenhado para a realidade de mercado, por meio do qual as pessoas conhecem um cenário de saúde e o impacto do alto custo", acrescenta.

É uma formação voltada para o profissional que trabalha na área da saúde, seja assistencial, fonte pagadora ou outro setor. Assim, o curso da Faculdade Unimed é indicado para administradores e gestores em saúde, médicos, enfermeiros e farmacêuticos auditores, equipes de cadastramento, faturamento, atendimento e da área de OPME das empresas de planos de saúde.

gestão de OPME envolve vários pontos delicados, especialmente quando se fala do processo de compra. Por isso, é importante que os profissionais estejam atualizados quanto às regras e mudanças desse segmento. Desse modo, conseguem fazer um trabalho efetivo, ou seja, atender o paciente, mas sem comprometer o orçamento da organização.

Ficou interessado em fazer carreira nessa área? Quer saber mais sobre o curso da Faculdade Unimed? Entre em contato com nossa equipe e tire todas as suas dúvidas!


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

Há 3 dias

Os 5 tipos de tomada de decisão na área da saúde: como aplicar?

LER POST
Há 5 dias

Saiba como é a rotina de um médico emergencista

LER POST
Semana passada

Cuidados paliativos pediátricos: entenda o que são e o passo a passo

LER POST