Inovação e saúde: como conectar os dois conceitos da melhor forma?

  • Home
  • Blog
  • Saúde
  • Inovação e saúde: como conectar os dois conceitos da melhor forma?
Publicada 12/11/2019

Reduzir custos e aumentar a eficiência é uma preocupação constante para muitas unidades de atendimento médico, sejam elas de grande, médio ou pequeno porte. Diante dessa realidade, implementar mudanças nos processos do dia a dia é uma necessidade, mas que só é possível para aqueles que enxergam a conexão entre inovação e saúde.

Afinal, ninguém quer se tornar obsoleto e perder espaço no mercado. Adotar soluções que permitam melhorar a qualidade de vida dos pacientes sem sacrificar os lucros da empresa é um sonho possível, desde que alguns conceitos sejam desconstruídos e outros modelos inovadores sejam colocados em prática.

Parece complicado? Siga conosco para saber mais sobre as razões e as ações que estão por trás da inovação na área médica!
 

Por que inovar em saúde?


O que faz uma doença que antes era considerada uma sentença de morte se transformar em um problema de saúde prevenível e tratável? Se você disse “os avanços tecnológicos na Medicina”, saiba que sua resposta está parcialmente correta.

Tomemos como exemplo o câncer de colo de útero. Se, até hoje, os cânceres são doenças muito estigmatizadas, imagine no início do século XX. As mulheres buscavam ajuda médica apenas quando os sintomas já não eram mais suportáveis, e os médicos tinham pouco a fazer.

Embora o desenvolvimento da radioterapia tenha sido um importante avanço (substituindo as cirurgias para remoção de útero muitas vezes fatais na época), outras mudanças tiveram um enorme impacto no diagnóstico e tratamento do câncer cervical em nosso país.

Do ponto de vista das descobertas científicas, devemos ressaltar a identificação do papilomavírus humano (HPV) como um dos fatores relacionados ao desenvolvimento de tumores no útero. Entender as origens da neoplasia foi crucial para elaborar novas estratégias de prevenção, que passaram a ser implantadas após o reconhecimento do câncer cervical como um problema de saúde pública.

Agora, estamos falando na inovação em processos para ampliar a atenção à saúde da mulher e reconhecer a prevenção como forma de melhorar a qualidade de vida da população feminina e reduzir os custos com intervenções que poderiam ser evitadas. Com esses objetivos, foi em meados da década de 1960 que surgiram os primeiros programas de rastreamento do câncer de colo de útero no Brasil.

A esse exemplo de inovação em saúde, podemos somar outros:

O que todas essas medidas têm em comum? Elas focam na qualidade de vida do paciente, mesmo daqueles que apresentam doenças crônicas ou que dependem de cuidados paliativos. Além disso, tais ações promovem uma economia potencial de recursos, uma vez que procedimentos mais complexos são evitados e o atendimento se torna mais eficiente.
 

Como inovação e saúde estão interligadas?


Nossa sociedade está constantemente em transformação. Novas demandas surgem a cada dia nos mais diversos setores, e com a saúde não é diferente. Podemos destacar, por exemplo, o envelhecimento da população e as mudanças no perfil de consumo, com maior foco no bem-estar, como dois fatores que exigem uma adaptação da Medicina.

O desafio agora é se reinventar para melhorar o acesso dos pacientes e aumentar a eficiência da instituição. Essa tarefa é possível para aqueles que unem inovação e saúde, como veremos a seguir.

Conectividade
Não dá para falar em inovar em saúde sem incluir a tecnologia. Os termos Internet das Coisas, Big Data e Inteligência Artificial parecem estranhos para você? Pois saiba que esses novos conceitos vêm interferindo profundamente na forma como a Medicina é aplicada atualmente.

A revolução tecnológica é responsável tanto por melhorar a experiência do paciente quanto por ampliar as possibilidades de atuação dos médicos e gestores. No setor de Medicina diagnóstica, por exemplo, os impactos da inovação mediada pela tecnologia são bastante evidentes.

E não estamos falando apenas de equipamentos que permitem análises mais detalhadas. Precisamos considerar também como a conectividade permite uma maior fluidez no fluxo das informações e, consequentemente, torna os processos mais ágeis.

Isso pode ser visto no paciente que deseja consultar no celular o resultado do seu exame de sangue feito por um robô. Portanto, para as diferentes necessidades, soluções tecnológicas distintas facilitam o dia a dia de pacientes e profissionais de saúde.

Medicina humanizada
O mercado da saúde hoje é muito competitivo. O paciente deve ser visto como um cliente que espera um excelente atendimento. Oferecer uma ótima experiência não é apenas uma forma de fidelizar o público, mas também de expandir o alcance do serviço (basta imaginar o efeito de um comentário negativo nas redes sociais para entender o que estamos falando).

Você sabia que as instituições de saúde com altas taxas de satisfação têm uma performance financeira 60% melhordo que aquelas que não são tão bem avaliadas pelos pacientes? Assim, é muito importante que a equipe médica consiga atuar de forma humanizada e personalizada, tratando cada paciente como único.

Certificações
Inovar nos processos significa adotar novas formas de alcançar uma melhoria significante. Uma ótima forma de atingir a excelência e a eficiência operacional é buscar as certificações que atestam a qualidade do trabalho realizado.

As acreditações nacionais e internacionais são concedidas após a adoção de boas práticas em diferentes áreas, o que depende do remodelamento de processos e da preocupação com a melhoria contínua. Entre as certificações mais procuradas pelas instituições médicas estão:


Como se qualificar para a inovação?


Para a inovação em saúde, a figura de um ou mais líderes é essencial para promover as mudanças necessárias. É preciso ter em mente que estamos falando em processos, ou seja, ações que não são apenas pontuais, mas que devem ser conduzidas em médio e longo prazo e que podem necessitar ajustes no caminho.

Se você deseja se tornar uma liderança em um cenário que exige novas soluções de gerenciamento apoiadas por ações de promoção e prevenção em saúde, a melhor alternativa é buscar uma especialização que desenvolva as competências necessárias para atuar em um modelo de gestão inovadora.

Ao se especializar nessa área, você receberá a bagagem necessária para elaborar e colocar em prática as mudanças necessárias para garantir a permanência do serviço de saúde no futuro. Afinal, quem não acompanhar as transformações de forma rápida e contínua acabará perecendo no mercado.

Inovação e saúde são duas áreas que estão em constante metamorfose. Ficar parado, sem buscar novos aprendizados, significa permanecer em modelos ultrapassados e que já não atendem mais as necessidades dos pacientes. E aí, você está preparado para se reinventar?

Se você não quer perder nenhuma tendência da Medicina, nós podemos ajudá-lo!. Entre em contato com a Faculdade Unimed.


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

Há 2 dias

Gestão de custos: por que é importante para fazer negócios na saúde?

LER POST
Semana passada

Afinal, qual é a importância da auditoria em OPME?

LER POST
27/11/2019

Governança corporativa: a importância para instituições de saúde

LER POST