A importância ética de se ter transparência na saúde

  • Home
  • Blog
  • Gestão
  • A importância ética de se ter transparência na saúde
Publicada 24/06/2020

Ter transparência na área da saúde é fundamental para que pacientes confiem na gestão da instituição. Para que todos os funcionários ajam de forma harmônica e de acordo com as diretrizes de uma instituição, são utilizados métodos como a governança em saúde e o compliance.

Neste post, você poderá entender melhor como esses sistemas funcionam e quais são os desafios e os principais ganhos da transparência na saúde e nas gestões. Continue a leitura e saiba como esses princípios podem aumentar a credibilidade da instituição. Boa leitura!

 

O conceito de ética na saúde

Por mais óbvio que possa parecer, entender o que é a ética aplicada à saúde é essencial para qualquer profissional da área. Grosso modo, a ética está relacionada aos princípios que orientam e conduzem o comportamento dos indivíduos dentro da sociedade. Na saúde, ter um comportamento ético é essencial para tratar a individualidade, de forma humanizada.

Não basta apenas que o profissional busque a atualização e aperfeiçoamento para conquistar a credibilidade; é preciso também ter uma postura ética. Para isso, cabe a cada colaborador seguir as normas éticas da sociedade e as normas internas de cada função e organização, a fim de ser reconhecido não só pelo seu trabalho, mas também pela sua conduta. 

A ética no ambiente corporativo pode ser compreendida sob três aspectos: a relação médico x paciente, a relação médico x demais profissionais e, por fim, a relação médico x sociedade. É função desse profissional respeitar as necessidades individuais e conquistar a confiança de cada um de forma natural e gradual, criando um vínculo. 

Conhecer e aplicar a ética na saúde é essencial, uma vez que hoje em dia práticas mais humanizadas nas mais diversas áreas têm sido debatidas e estimuladas pela sociedade. O paciente que antigamente aceitava todas as orientações do médico sem contestação, hoje exige do profissional muito mais do que apenas informações sobre a sua saúde, demandando atenção e confiança. 

 

Entenda a importância da gestão transparente

Nos tempos atuais, com o advento dos processos de certificação, várias instituições de saúde têm declarado publicamente os princípios e valores nos quais se pautam para prestar assistência aos pacientes. Conquistar a confiança dos clientes é o maior ganho para as empresas que são transparentes em seus processos.

Com relação aos colaboradores, uma vantagem significativa da gestão transparente é a retenção de talentos. Uma equipe composta por profissionais capacitados precisa receber informações do líder a respeito do presente e do futuro da empresa. Profissionais mal informados, excluídos dos processos decisórios, tornam-se presa fácil para a concorrência.

Outro ponto que merece destaque, no que tange à transparência, é a gestão dos conflitos. Negá-los ou negligenciá-los só trará prejuízos ao clima organizacional. Conflitos tratados de maneira aberta e transparente resultam em crescimento e aprendizado para as partes envolvidas. ​O mesmo raciocínio é válido para o relacionamento com investidores e com o mercado; transparência total.

 

Entenda o que é governança corporativa e compliance

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), governança corporativa é o sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre proprietários, conselho de administração, diretoria e órgãos de controle.

Para empresas, de um modo geral, governança corporativa simboliza o conjunto de mecanismos e controles, internos ou externos, que assegura aos diversos atores presentes no cenário interno definir e garantir a execução dos objetivos da ​instituição, assegurando a perenidade do negócio.

Em relação ao compliance — ou seja, a agir conforme as regras —, quando determinada empresa investe nesse sentido, entende-se que opera em conformidade com a legislação, com seu código de conduta, com a cultura na qual está inserida e com protocolos internos e externos.
 

Pilares do programa de compliance

Por visar assegurar elevados níveis de conformidade nas organizações, os programas de compliance, normalmente, são complexos e abrangentes. Eles se referem a inúmeras variáveis que interagem interna e externamente à empresa.

Segundo a Controladoria-Geral da União, o compliance se estrutura em cinco pilares, sendo eles:

  • comprometimento e apoio da alta direção;
  • instância responsável, ou seja, ter uma área de compliance com independência e autonomia;
  • análise de perfil e riscos;
  • estruturação das regras e instrumentos;
  • estratégias de monitoramento contínuos.

Destaca-se, porém, que referido rol pode ser ampliado, pois não se pode esquecer de incluir as due diligences, canais de denúncias, investigações internas e previsão de medidas disciplinares.

A exemplo das empresas de outros segmentos, as organizações de saúde que têm como objetivo se destacar e se consolidar no mercado devem, obrigatoriamente, alinhar seu programa de compliance aos objetivos estratégicos, sua missão e visão.

O que um programa de compliance deve assegurar:

  • fiel observância ao planejamento estratégico;
  • gerir e mitigar os riscos operacionais;
  • gerir os controles internos;
  • investir nos processos de melhoria contínua;
  • analisar e prevenir fraudes;
  • garantir a segurança da informação;
  • realizar auditorias internas periodicamente;
  • gerir e atualizar as políticas de gestão de pessoas;
  • elaborar, gerir e atualizar o manual de conduta e criar estratégias para disseminar e fortalecer o compliance na cultura organizacional;
  • fiscalizar a conformidade contábil de acordo com as normas e princípios contábeis vigentes;
  • interpretar a legislação e adequar a empresa a ela;
  • manter atualizada a política de qualidade em conformidade com os modelos de certificação escolhidos pela instituição.
 
Veja motivos para estudar governança em saúde

Além da complexidade das organizações, a cobrança por qualidade e resultados sustentáveis vêm exigindo modelos de gestão cada vez mais confiáveis e pautados nos preceitos da ética e da transparência — principalmente no que tange aos relacionamentos da instituição com fornecedores e colaboradores.

Com isso, as organizações têm sido instigadas a implantar modelos de governança que sejam capazes de prever e inibir possíveis comportamentos incompatíveis com o que é preconizado pelos códigos de conduta. Assim, é essencial estudar o tema governança, adequá-lo à realidade das organizações de saúde e utilizar as ferramentas de compliance para atingir com segurança e transparência os objetivos, metas e resultados traçados.

Neste post você pôde compreender como a ética e a transparência na saúde são necessárias para fazer com que os colaboradores e pacientes tenham confiança em uma instituição, colaborando para conferir credibilidade a ela. Entendeu ainda os conceitos de governança corporativa em saúde, de compliance, e sua importância para a melhor organização e adequação às normas.

Se você se interessou por este conteúdo, também vai se interessar sobre compliance anticorrupção na saúde. Conheça nosso curso EAD de curta duração sobre o tema.


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

31/08/2020

O que faz um auditor de saúde?

LER POST
16/07/2020

RNs 452, 443 e 440: saiba como se preparar para o processo de acreditação de operadoras de saúde

LER POST
29/05/2020

EAD Faculdade Unimed: saiba como se capacitar na área da saúde

LER POST