Gestão de cooperativas: quais as vantagens de seguir carreira?

Publicada 05/10/2020

De acordo com a Organização de Cooperativas do Brasil (OCB), existem cerca de 3 milhões de cooperativas no mundo, que juntas representam aproximadamente 280 milhões de postos de trabalho. É fato: o cooperativismo está em expansão no Brasil e no mundo.

Não por acaso, a procura pelo profissional de Gestão de Cooperativas aumentou consideravelmente nos últimos anos. O mercado precisa de gestores qualificados para lidar com os desafios desse modelo de negócio.

Portanto, se você tem interesse em trabalhar na área, continue acompanhando o conteúdo. Vamos falar sobre o que faz um gestor de cooperativas, quais são as áreas de atuação, desafios, entre outras informações importantes para quem quer se especializar nesse segmento.

Confira!

 

O que são cooperativas?

Antes de começar a falar sobre o profissional de Gestão de Cooperativas, é importante que você entenda melhor do que se trata esse tipo de organização.

Cooperativas são instituições formadas por pessoas pertencentes a um determinado grupo, que tenham objetivos em comum.

Essas prestam serviços aos associados e as decisões são tomadas de forma democrática, com a participação de todos os membros.

De acordo com a Lei 5.764, de 1971, que define a Política Nacional de Cooperativismo, Cooperativa é o contrato entre “pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir com bens ou serviços para o exercício de uma atividade econômica, de proveito comum, sem objetivo de lucro.”

Confira quais são os 7 princípios do cooperativismo:

  1. Adesão voluntária e livre — qualquer pessoa pode participar, desde que ela esteja alinhada ao objetivo econômico da cooperativa e disposta a assumir as responsabilidades;
  2. Gestão democrática — os membros participam ativamente de todas as decisões e os representantes oficiais precisam ser eleitos pela maioria;
  3. Participação econômica dos membros — os membros contribuem para o capital da cooperativa e o excedente financeiro (quando existe) é dividido entre os cooperados de forma justa;
  4. Autonomia e independência — a cooperativa precisa se manter autônoma, mesmo quando fizer parcerias com outras instituições públicas ou privadas;
  5. Educação, formação e informação — promover a formação e educação dos membros, além de informações para a sociedade em geral;
  6. Intercooperação — trabalhar em conjunto com outras cooperativas para fortalecer o movimento;
  7. Interesse pela comunidade — contribuir para o desenvolvimento social e ambiental da sociedade.


Agora, veja quais são os ramos de cooperativas no Brasil:

  • Agropecuário;
  • Consumo;
  • Crédito;
  • Infraestrutura;
  • Produção de Bens e Serviços;
  • Saúde;
  • Transporte.

O cooperativismo não é apenas um modelo de negócio. Segundo a OCB, o cooperativismo é “uma filosofia de vida que busca transformar o mundo em um lugar mais justo, feliz, equilibrado e com melhores oportunidades para todos”.

“Não é por acaso que se aposta tanto no crescimento do cooperativismo a nível mundial. O cooperativismo proporciona uma cadeia sustentável de crescimento local, onde todos ganham”, acrescenta Felipe Cassiano, professor do curso de Gestão de Cooperativas da Faculdade Unimed.

Assista a este vídeo para conhecer mais sobre a história do cooperativismo.

 

O que faz um profissional de Gestão de Cooperativas?

O profissional de Gestão de Cooperativas é responsável por criar, planejar e organizar inúmeras atividades que envolvem a administração de cooperativas.

De modo geral, o seu maior objetivo é contribuir estrategicamente para o desenvolvimento da cooperativa, bem como garantir que a organização vai conseguir desempenhar os seus compromissos sociais e econômicos.

Para isso, é preciso:

  • estimular a participação de todos para promover um ambiente democrático;
  • assegurar a sustentabilidade financeira da organização;
  • acompanhar as tendências do mercado e da sociedade;
  • atender às demandas dos órgãos reguladores;
  • propor novos métodos e tecnologias para melhorar os serviços oferecidos pela instituição.


Áreas de atuação
Quem realiza o curso de graduação ou MBA em Gestão de Cooperativas está apto para atuar na liderança de diferentes tipos de cooperativas, tanto na parte técnica quanto na área de consultoria.

Além de poder trabalhar em cooperativas singulares, centrais, confederações, os profissionais de cooperativismo podem ter espaço em ONGs, associações regionais e outras instituições.

O mercado é vasto, o setor está aquecido e oportunidades não faltam para profissionais com as habilidades necessárias para administrar uma cooperativa.

 

Quais são os desafios de um profissional de Gestão de Cooperativas?

O gerenciamento de um negócio nunca é fácil e não seria diferente em um modelo tão particular como as cooperativas. Além de enfrentar os desafios externos, como a concorrência do mercado, o profissional de Gestão de Cooperativas precisa lidar com as necessidades internas.

Afinal, os cooperados dependem do sucesso da cooperativa para terem o retorno financeiro e o desenvolvimento local que todos almejam.

“O gestor de cooperativas precisa estar disposto a escutar, a construir relações e compreender que a cooperativa é um instrumento de cunho social. Nesse sentido, ele precisa estar muito atento para ouvir os cooperados e entender as suas demandas”, ressalta Nidelson Falcão, diretor executivo da Fecoagro Leite Minas e diretor executivo do Consórcio Central Grupo Cooperativo (CCGC).

De acordo com o professor Felipe, quem deseja entrar na área não deve se intimidar com a complexidade de administrar uma cooperativa, pelo contrário.

“É interessante pensar que com os desafios também vêm as oportunidades. O egresso no curso de Gestão de Cooperativas tem um mercado de atuação singular, tanto por suas particularidades quanto por suas oportunidades de crescimento”, observa.

 

Características de um bom profissional de Gestão de Cooperativas

As cooperativas são associações com funcionamentos e objetivos bem específicos. Para que o trabalho seja executado com qualidade, é essencial que o gestor tenha ou desenvolva determinadas habilidades.

A seguir, veja quais são as principais características necessárias para ser um bom gestor de cooperativas:

Ter boa comunicação e gostar de pessoas
Um líder do corporativismo precisa dialogar com pessoas de diferentes perfis para executar o seu trabalho. Portanto, o profissional deve conseguir ouvir críticas, sugestões e respeitar as ideias dos membros.

Isso não significa que o cooperado vai ser acatado sempre, afinal, o que prevalece na cooperativa é o benefício coletivo.

“A cooperativa também é uma pessoa, uma pessoa jurídica que precisa se fortalecer. O cooperado, apesar de ser dono, fornecedor e cliente, precisa cumprir determinadas normas e isso é extremamente importante para que você tenha perenidade no empreendimento”, destaca Nidelson Falcão.

Ser proativo e ter boa capacidade de liderança
O gestor de cooperativas precisa ser um bom líder para conseguir inspirar e coordenar os integrantes da equipe. É importante dar o exemplo com suas atitudes, estar perto de todos os setores do negócio e trabalhar para manter a motivação de todos os membros.

Respeito aos princípios do cooperativismo e visão do mercado
É importante lembrar que, apesar do forte cunho social, a cooperativa é uma empresa e como tal precisa de pessoas capazes de identificar ameaças e oportunidades do mercado, agir de maneira estratégica para fazer o negócio crescer.

“O papel do gestor é fundamental. Ele precisa entender as estratégias de cooperação e de competição, já que as cooperativas precisam encontrar o equilíbrio entre as dinâmicas do mercado e os princípios do cooperativismo, isso se faz com boa gestão”, pontua Falcão.

 

Como é o mercado de trabalho na área de Gestão de Cooperativas? 

O mercado de Gestão de Cooperativas é extremamente promissor e oferece uma vasta possibilidade de atuação aos seus profissionais. Mesmo em um cenário de crise e alta no desemprego, o corporativismo permanece em crescimento.

Segundo dados do Sistema OCB, em 2018, o setor aumentou em 17,8% as suas contratações no Brasil — chegando a marca de 425,3 mil postos de trabalho.

Após mais de 15 anos trabalhando com o cooperativismo, Nidelson Falcão afirma que o segmento proporcionou a melhor experiência da sua sólida carreira.

“O cooperativismo, assim como vários outros segmentos, é forte, demanda bons profissionais e permite crescimento profissional. A pessoa que optar pela carreira no cooperativismo certamente vai ter espaço para contribuir com suas ideias e maneira de empreender durante muitos anos.” 

 

Qual é a formação necessária para ser um Gestor de Cooperativas?

Um líder no cooperativismo precisa ter uma formação específica para lidar com as particularidades desse modelo empresarial.

“A figura do líder vai muito além do presidente, dos conselheiros, dos dirigentes. Uma organização cooperativista é constituída de vários líderes, que contribuem para que o desempenho continue em franco crescimento. O mercado não para de crescer e carece de profissionais qualificados, portanto é muito importante termos profissionais com formação específica para atuarem nessas cooperativas”, considera Cassiano.

A Faculdade Unimed, como uma sociedade auxiliar da maior cooperativa de saúde do mundo, se orgulha em oferecer um curso de Gestão de Cooperativas. É uma formação completa, ministrada por um corpo docente multidisciplinar e altamente experiente.

E para quem já tem uma graduação, uma boa possibilidade é fazer pós-graduação na área. A Faculdade Unimed também disponibiliza o MBA em Gestão de Cooperativas EAD, que conta com uma grade curricular dinâmica, atualizada e prática para preparar o profissional para o mercado.

Os cursos podem ser feitos por dirigentes, conselheiros, cooperados, gerentes, técnicos, supervisores, assistentes e demais profissionais que estão ligados, trabalham ou desejam atuar com a gestão das cooperativas.

Como vimos, existem muitos motivos para seguir carreira no cooperativismo. Para ser um gestor de cooperativista de sucesso é indispensável ter uma formação acadêmica para embasar o seu trabalho e melhorar o seu desempenho.

Se você ficou interessado (a) em realizar uma formação na área, conheça o curso de Gestão Cooperativas da Faculdade Unimed!

 

 


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

Há 3 dias

LGPD: o que é, como funciona e quais seus impactos nas relações trabalhistas

LER POST
Há 4 dias

Quais as competências necessárias para se destacar no mercado de trabalho?

LER POST
Semana passada

Gestão Hospitalar: desafios, carreira e formação acadêmica

LER POST