Cuidados paliativos pediátricos: entenda o que são e o passo a passo

Publicada 11/10/2019

O trabalho com crianças em uma instituição hospitalar envolve vários desafios para os profissionais. A área de pediatria conta com uma série de vertentes, demandando um sólido trabalho de equipe e a construção de uma rede de amparo firme para acolhimento de pacientes e famílias. Uma área muito importante nesse contexto são os cuidados paliativos pediátricos aplicados em situações de adoecimentos que ameaçam a continuidade da vida da criança.

Conhecer bem essa temática e se capacitar sobre a questão é fundamental para uma atuação efetiva e que gere alívio de sofrimento e promoção de qualidade de vida. Preparamos este conteúdo especial com informações sobre os cuidados paliativos pediátricos. Confira o nosso post e entenda mais sobre o assunto!
 

O que são cuidados paliativos? 


Os cuidados paliativos são a assistência oferecida por uma equipe formada de múltiplos profissionais com o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente e seus familiares diante de doenças que ameacem a continuidade da vida. O trabalho é realizado por meio da busca de prevenção e alívio do sofrimento. Eles envolvem a identificação precoce, avaliação, tratamento de dor e dos sintomas físicos, psicológicos, sociais e espirituais.

Nesse sentido, os cuidados paliativos pediátricos (CPP) são a assistência promovida às crianças e parentes em quadros de saúde com patologias que ameaçam a vida (doenças crônicas, progressivas e avançadas). Esses cuidados são aplicáveis em qualquer fase da doença, e o ideal é que eles sejam implementados cedo em conjunto com outras terapias, visando a promoção de saúde.
 

Qual é a importância dos cuidados paliativos na pediatria?


Os cuidados paliativos pediátricos são fundamentais para a melhora da qualidade de vida da criança e sua família e para a promoção da integralidade do cuidado oferecido ao paciente. Os CPPs ajudam na gestão das complicações clínicas que causam sofrimento, proporcionando alívio ou minimização de sintomas, dentro dos limites possíveis. Esses cuidados podem promover também um melhor curso para a doença, reduzindo o sofrimento da criança.

A proposta dos cuidados paliativos pediátricos é incluir a criança e a família como protagonistas do processo, convidando-as para participarem das decisões e para conhecerem as possibilidades do tratamento. Isso é feito oferecendo o amparo profissional necessário para os agentes lidarem com a dor e com as dificuldades inerentes ao processo. Assim, estrutura-se um sistema de apoio ao paciente com amparo à sua vitalidade.

O cuidado oferecido deve apresentar consistência com as crenças e valores do paciente e sua família. Nesse processo, busca-se a afirmação da vida, sendo a morte vista como um processo natural. Os CPPs possibilitam também auxiliar a família no atravessamento do processo da doença e do luto.
 

Por que o profissional que trabalha com cuidados paliativos pediátricos deve se capacitar? 


A atuação profissional em cuidados paliativos pediátricos é muito complexa. Ela envolve dilemas éticos, amplo conhecimento sobre os quadros clínicos e também competências em relações interpessoais para o oferecimento de tratamento humanizado. É preciso conhecer os princípios orientadores dos cuidados paliativos, para que o trabalho seja realizado de forma coerente e condizente com os direitos fundamentais do paciente.

Com a capacitação, é possível promover o exercício da profissão por meio das melhores práticas. Assim, o profissional consegue estruturar ações que realmente contribuam da melhor forma possível para as pessoas acolhidas.
 

Como ter sucesso na aplicação dos cuidados paliativos pediátricos?


Há várias medidas que você pode adotar na aplicação dos cuidados paliativos pediátricos. Veja mais a seguir:

Tenha um bom entendimento da doença
Para o oferecimento dos cuidados adequados para o paciente, é fundamental contar com uma compreensão aprofundada da doença. Por meio desse entendimento, é possível conhecer quais são as limitações e possibilidades terapêuticas disponíveis.

Há quadros que podem restringir o consumo de determinadas medicações, por exemplo. Além disso, a boa compreensão do adoecimento ajuda no estabelecimento de perspectivas, ou seja, de se enxergar um horizonte em que é possível atuar para promover mais qualidade de vida para o paciente e sua família.

Tenha atenção aos tratamentos disponíveis e possíveis limitações
É fundamental buscar se atualizar sobre os tratamentos disponíveis, as inovações de tecnologia em saúde e as limitações que podem estar associadas às doenças. As pesquisas na área da saúde estão em contínuo avanço e novas perspectivas surgem com essas investigações. Porém, é importante que a equipe de cuidados paliativos pediátricos busque se aprimorar continuamente para que ela possa oferecer mais recursos e perspectivas para o paciente.

Defina os objetivos das intervenções médicas
É importante que todas as intervenções médicas sejam desenvolvidas com base em objetivos específicos direcionados para a promoção de saúde e qualidade de vida. Em cuidados paliativos, capa passo da equipe (mesmo os menores e mais simples) pode fazer grande diferença para a integridade e bem-estar do paciente. Pequenas ações podem gerar bons resultados para o sujeito e sua família, auxiliando no controle de desconfortos físicos e psíquicos.

Busque prover as necessidades e antecipar eventos
É fundamental buscar suprir as carências do paciente, minimizando dores e incômodos. Além disso, é preciso ter uma abordagem preventiva, agindo de forma a evitar maiores danos.

A integralidade do cuidado também envolve o acolhimento das fragilidades, dúvidas e incertezas que podem surgir no decurso do tratamento. A equipe médica tem o papel de oferecer o amparo e conforto necessário para que o paciente e sua família tenham seu sofrimento minimizado e possam ter suas necessidades acolhidas.

Mais do que a minimização do sofrimento, os cuidados paliativos pediátricos buscam também a promoção de bem-estar, por meio de propostas que auxilie o indivíduo de forma integral. Equipes multiprofissionais atuam na área, cada colaborador contribuindo com uma parcela do cuidado, objetivando o atendimento de necessidades e o apoio biopsicossocial da pessoa atendida.

Para trabalhar com cuidados paliativos pediátricos, é essencial buscar capacitação contínua em instituições credenciadas. O aprimoramento de conhecimentos na área possibilita uma formação sólida, completa e que prepara o profissional de forma bem-estruturada para a atuação. Um exemplo é curso de pós-graduação em Cuidados Paliativos oferecido pela Faculdade Unimed. 

E então? Gostou de aprender mais sobre os cuidados paliativos pediátricos? Aproveite a visita ao blog e confira por que uma equipe de cuidados paliativos deve ser multiprofissional!




ÚLTIMOS POSTS

Há 2 dias

Liderança exponencial: conheça o futuro da gestão de pessoas

LER POST
03/06/2022

ESG: entenda por que esta sigla se tornou tão importante

LER POST
23/05/2022

Conheça o trabalho do profissional de secretariado

LER POST